domingo, 30 de dezembro de 2007

Eis-nos de volta à ilha


De regresso para mais um maravilhoso ano nestas terras a meio do Atlântico (como já lhes chamei um dia, as joias perdidas de Atlantida), após um natal em familia no Algarve.

Eu continuarei por cá a relatar todas as minhas aventuras e desventuras que por aqui irão acontecer.

Mas por agora, apenas desejo votos de um EXCELENTE ANO DE 2008 para todos. E já agora, para terminar de vez, um bom carnaval, uma boa pascoa, um bom dia da arvore, um feliz aniversário e restantes dias também.


Para vocês:

http://www.star28.net/penguin_tebe.swf?msg=Um%20Feliz%20Ano%20de%202008

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Será um país diferente?


Vinha eu muito descansado hoje para o meu emprego, na via rápida Ribeira Grande - Ponta Delgada (!!!!), ouvindo a radio (na TSF) quando no meio dos meus pensamentos abstractos de como iria correr o dia, oiço a noticia de que o Governador Regional Carlos César se prepara para aumentar o salário minimo regional (??????) para 500€.

SALÁRIO MINIMO REGIONAL?????? "Mas existe um salário mínimo nacional!" pensei eu.

O que me fez confusão não foi o aumento para 500€ do salário mínimo (uma medida que eu aplaudo e que se devia estender ao resto do país) mas sim a existência de um salário mínimo regional.


Outra coisa diferente que cá encontramos é que na saúde pública não paga nada. Exames, consultas, internamentos, tudo é gratuito! O resto do país deveria seguir este bom exemplo.

Será que os Açores não serão parte integrante do país? Com isto não estou a afirmar que não gosto de cá viver, apenas que é diferente. É a maneira açoreana! Como dizem por cá: "Feito por açoreanos para açoreanos!"


P.S. A foto de hoje não é de minha autoria, mas mostra um local muito bonito cá na ilha (Ilhéu de Vila Franca do Campo) que achei que merecia ser colocada!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Um carro novo...


Ando à procura de um carro novo!

Como me encontro num Arquipelago em que se aplica um IVA de 15%, pensei: "Bem, já que aqui estou, vou aproveitar que os carros são mais baratos!"

PURO ENGANO!!!!!
Na minha pesquisa por uma viatura nova, cheguei à conclusão de que os carros têm o mesmo preço que no continente (ou mesmo mais caros!) onde existe um IVA de 21%.

Quando questionados os vendedores sobre a razão disso, as respostas foram:
- Não sei, o patrão ordenou! (a resposta mais vulgar);
- Por causa de um seguro especial e do transporte;
- Para que as pessoas do continente não venham cá comprar carros (esta é linda!);
- Encolheram os ombros.

Ainda estou a ver mais viaturas e agora estou cheio de curiosidade para ver quais as respostas à pergunta!


Já agora, se estiverem interessados em comprar um carro (ou se conhecem alguém que esteja):

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Resposta ao desafio...


Esta é a resposta ao desafio colocado por uma grande amiga açoreana (ver comentários do post anterior!).

Dá-me um particular gozo responder a este desafio pois sou muito curioso em relação à história e estórias deste arquipelago.

A resposta:

A divisa dos Açores, "Antes morrer livres que em paz sujeitos", é retirada de uma carta escrita a 13 de Fevereiro de 1582 por Ciprião de Figueiredo, então representante do Rei nos Açores, a Filipe II de Espanha. Nela, recusa a sujeição da ilha Terceira em troca de regalias várias, dizendo: "... As couzas que padecem os moradores desse afligido reyno, bastarão para vos desenganar que os que estão fora desse pezado jugo, quererião antes morrer livres, que em paz sujeitos. Nem eu darei aos moradores desta ilha outro conselho... porque um morrer bem é viver perpetuamente..."

E mais: "Ciprião de Figueiredo e Vasconcelos (Alcochete – Paris), conde da vila de São Sebastião (por D. António I) distinguiu-se como corregedor dos Açores durante a crise de sucessão de 1580, tendo governado o arquipélago durante o período conturbado que se seguiu à aclamação nas ilhas de D. António, Prior do Crato como rei de Portugal. A ele se deve a fortificação e organização da defesa da ilha Terceira que levou à vitória na batalha da Salga."

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Brasão e Hino açoreanos


O brasão açoreano!

Que os Açores tinham uma bandeira já todas as pessoas o sabiam.
Mas sabiam que tambem tem um brasão e um hino?
Realmente parece um país à parte de Portugal.

Este é o Hino:
O Hino dos Açores
Deram frutos a fé e a firmeza
No esplendor de um cântico novo:
Os Açores são a nossa certeza
De traçar a glória de um povo.
Para a frente! Em comunhão,
Pela nossa autonomia.
Liberdade, justiça e razão
Estão acesas no alto clarão
Da bandeira que nos guia
Para a frente!
Lutar, batalhar
Pelo passado, imortal.
No futuro a luz semear,
De um povo triunfal.
De um destino com brio alcançado
Colhermos mais frutos e flores,
Porque é este o sentido sagrado
Das estrelas que coroam os Açores
Para a frente, açorianos!
Pela paz à terra unida.
Largos voos, com ardor firmamos,
Para que mais floresçam os ramos
Da vitória merecida.
Para a frente!
Lutar, batalhar
Pelo passado imortal,
No futuro a luz semear,
De um povo triunfal.

Letra:Natália Correia
Música:Teófilo Frazão.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Em Rabo de Peixe...


Mais palavras para quê?
Humor rabo-pexinho em pleno

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Mais um sinal de trânsito


Parece que esta ilha tem uma sinaléctica muito própria. Na verdade, muito suis generis!

Carros especiais?
Como disse?
O que são carros especiais? É que não me considero velho, mas quando passei o exame de código, tal sinal vertical de proibição não havia.

Será que o meu pópó é um carro especial? É que quando eu ando com ele, quando a minha esposa anda com ele ou quando a minha princesa anda nele, ele é especial. Logo terá direito a circular na dita rua!
Bem, deve ser pois o trânsito só é proibido a veículos com mais de 6,6 T.
Mas fica a dúvida...

Nossa Senhora da Paz


Um local muito bonito em Vila Franca do Campo.

Faz lembrar Braga, mas aqui a Ermida da Nossa Senhora da Paz apenas tem 102 degraus para lá chegar acima (sim, contei-os!). Ao lá chegarmos temos uma vista espectacular sobre a vila e encontramos um silêncio absoluto que nos encanta (podem ver mais uma foto no blog Experimente!).

Reza a lenda que uns pastorinhos que vigiavam os seus rebanhos, encontraram uma pequena imagem da Virgem Santissima no cimo do monte. Ao contarem ao pároco da vila, a imagem foi encaminhada para a matriz de S. Miguel Arcanjo. No dia seguinte, porém, apareceu novamente no cimo do monte. Procedeu-se então à construção de uma ermida em local escolhido pelo clero. Mas, durante a noite, os alicerces foram mudados para o local onde os pastorinhos encontraram a imagem. A vontade de Nossa Senhora era evidente!

É desta maneira que se encontra neste local esta ermida e se encontra a paz em tão belo local.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Água quente!


Uma tarde bem passada!

A Ferraria tem uma piscina de água quente proveniente de uma fonte termal e é um espectáculo. Na maré baixa, a temperatura da água do mar chega aos 68ºC. Um bocadinho quentinha para mergulhos.
É um prazer estar nesta "piscina" com meia maré. Estamos dentro de água, o mar recua e quase nos queimamos, as ondas entram e trazem água fresca. Hum! que delícia.

Podemos passar horas dentro de água que nem reparamos.

Chegar lá não é difícil, mas não estão à espera que vos diga, pois não?

sábado, 20 de outubro de 2007

Sinal de trânsito


Bem, ja tinha visto muitos sinais diferentes mas este está no top dos mais estranhos

Estou a imaginar: está o fiel amigo de quatro patas a passear por esta estrada fora quando se depara com o sinal na foto!
"Ora bolas, diz ele. Tenho que ir dar a volta porque diz ali que me é proibido ir por esta rua. E agora? Queria tanto ir cheirar aquela banca de cachorros quentes...

Enfim...

sábado, 13 de outubro de 2007

Voltei


Voltamos depois de 3 semanas inteirinhas de férias no meu Algarve lindo.

Foram umas férias super cansativas, pois todas as pessoas (familiares e amigos) queriam conhecer a pequena princesa e o tempo acabou por se revelar escasso. Ficaram amigos por ver, mas infelizmente não deu para ver todas as pessoas que queríamos.

Mas mesmo assim, deu para matar algumas das imensas saudades que temos de lá.

Ficaram imagens, cheiros, cores, sons, ... retidos na nossa memória para mais tarde recordar. Recordar a primeira visita da nossa princesa à terra dos papás!

Deixo-vos uma imagem da "veneza algarvia" em toda a sua plenitude! Para chegar ao carro, após a maré encher (e isto é no meio da cidade!) tive que me descalçar e trazer o carro para uma parte seca para as minhas meninas entrarem.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

FÉRIAS


8 meses, 7 dias e algumas horas é altura de partir para o meu belo Algarve de férias.

A minha princesa vai conhecer a cor, o cheiro, a alegria da terra dos pais. Será que vai gostar?

Só voltaremos em Outubro aos Açores.

Até lá...

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Putas e vinho de cheiro


Realmente que a chegada de uma criança às nossas vidas muda um pouco a perspectiva de um de um homem que se torna pai (super babado!).

Não tenho dispendido muito tempo ao blog, mas não é porque não tenham acontecido situações caricatas e pormenores maravilhosos para relatar. Simplesmente deve-se ao facto de que os meus olhos só estão centrados na minha princesa.

Mas vi no outro dia uma frase numa parede que acho que revela bastante sobre a personalidade dos micaelenses: "PUTAS E VINHO DE CHEIRO"

Nós no continente temos a expressão "Putas e vinho verde" para classificar alguém que é um bon-vivant, aqui adaptaram essa mesma frase para um produto regional.

Como diz um slogan de um anúncio de radio loca: "Feito nos Açores, para açoreanos"

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

"De fora..."


Quando cheguei cá notei uma certa contenção das pessoas em se relacionarem comigo porque era do continente e era um estranho para as gentes e costumes locais.
Desde dessa altura para cá que, por diversas vezes, me deparei com a frase: "O senhor é de fora, não é?" E eu pergunto-me se me estão a inquerir sobre se sou de um outro país que não Portugal. Mas não, para os açoreanos, de fora são todos os que não são descendentes de açoreanos nascidos nos Açores.
Segundo eles, a minha filha não é açoreana. É filha de uma pessoa de fora!

Neste tempo todo, já aprendi a aceitar esta discriminação por parte das pessoas.

Agora ver escrito num meio de comunicação regional é que não!
Saiu no "Açoreano Oriental" de domingo uma reportagem sobre mergulho em que a determinada altura é escrito: "... Frederico, que é de fora, ...". Ora o Sr. Frederico era de Sagres!
Meus amigos, que descriminação é essa? Enquanto comunicação social não deveriam fazer referência a atitudes descriminatórias, nem incentivar esse tipo de mentalidades.

Enfim ...
Mais estranho é ouvir os micaelenses dizerem: "não ligue, ele é das ilhas..." Desculpe?

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Algarvia


Um mês depois e a minha atenção continua centrada apenas numa coisa: a minha princesa!

Sim, é oficial, sou um papá muito babado.

Mas, num dos meus passeios cá pela terra, dei de caras com esta localidade. Conseguem imaginar o estranho que foi para mim algarvio, encontrar uma terra com este nome?

terça-feira, 24 de julho de 2007

Bob Sinclair


Grande espectáculo no fim de semana com um dos mais conceituados Dj's do momento.
Após estrondoso sucesso do "Love Generation", este artista teve as portas abertas do sucesso internacional. Deste modo, promove concertos um pouco pr todo o mundo com uma quantidade apreciável de publico na assistência.

Assim, não é de admirar que existisse uma forte emoção e ansiedade na população quando se soube que haveria um concerto deste artista na ilha de S.Miguel, na Vinha da Areia em Vila Franca do Campo.

Chegado o grande dia, todas as pessoas animadas e festivas aguardando a chegada do artista. À hora marcada, inicia-se a performance e a festa começou. Todas as pessoas presentes dançaram, cantaram e festejaram com a alegria imprimida pelo espectáculo.
Ok, um concerto normal pensamos nós. Puro engano! Parece que à última da hora, no aeroporto mesmo antes de embarcar para Ponta Delgada, o Sr. Bob Sinclair teve um convite para se deslocar para outra "festa" e não compareceu ao concerto. A organização só o soube momentos antes da actuação. O que seria de esperar que se fizesse? Não, a resposta está descrita acima. No dia seguinte emitiram um comunicado que o show que para o qual as pessoas pagaram para assistir era uma farsa e estavam dispostos a devolver o dinheiro a quem fizesse prova que estivera lá.
OU SEJA, as pessoas foram lá viram um concerto de Bob Sinclair sem "O" Bob Sinclair, divertiram-se, elogiaram o artista e não se aperceberam que ele não estava lá...
Perguntas: o que se passou na cabeça do "senhor" para fazer o que fez aos seus fans? O que se passou na cabeça da organização para promover este embuste? E o que se passou na cabeça das milhares de pessoas que estavam lá para ver o espectáculo e que supostamente se divertiram a dançar a música deste "senhor", sem que ele lá estivesse?
Podem dizer de vossa justiça, que desta vez guardo para mim as minhas opiniões.

terça-feira, 17 de julho de 2007

12 dias depois


12 dias passaram desde o nascimento da minha princesa. Uau!!! parece que foi ontem.

É que ainda não desci à terra.

A minha esposa teve que ficar cinco dias no hospital porque surgiram umas complicações com ela, mas agora já está tudo bem e estamos em casa a curtir a princesa.

Estamos na fase de aprendizagem mutúa. Nós e a bebé. Nós a aprender a ser pais e a princesa a ser princesa.

Tudo nos fascina: cada sorriso, cada careta, cada movimento, ...

Felizmente a bebé é muito calma. Deixa os papás dormirem e descansarem. Tirando esta última noite em que a bebé teve uns problemas de cólicas, tem sido um anjinho.

As aventuras por estas terras continuam e tenho várias coisas para escrever, mas ficará para outra altura que agora vou ver a princesa.

sexta-feira, 6 de julho de 2007

A Princesa


Ouvimos imenso: vai ser assim, vai ser assado, vai dor, vai demorar, vai ser rápido, ... Não sei. Só mesmo passando por isso.

Ontem passei e hoje ainda não tenho palavras para descrever o que sinto.

Ando nas nuvens e ainda não desci à terra.

Apresento-vos a mais linda das princesas do mundo. Nasceu ontem com 2850g e com 46cm e é simplesmente LINDA!

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Cavalhadas na Ribeira Grande




Neste dia de 29 de Junho realiza-se as tradicionais "Cavalhadas" de S.Pedro. Festas típicas desta cidade e que não ocorrem em mais lado nenhum nos Açores.

Um a um, cavaleiros com as suas vestes brancas, chapéu preto decorado com flores, capa e faixa escarlate, reúnem-se frente ao solar da Mafoma, em Ribeira Seca. Depois partem em animado desfile levando à frente o "rei" de cerrada barba negra. Desde há séculos que, no dia de S. Pedro (29 de Junho) ao som estridente de cornetas, o colorido cortejo vai percorrendo a cidade recitando quadras populares num cerimonial único de religiosidade.

A origem destas festividades é incerta, perdida no tempo mas a primeira referência escrita que se conhece sobre as Cavalhadas de São Pedro remonta ao ano de 1856 em manifesto relacionamento com o culto do Divino Espírito Santo.

Passados 100 anos e em declinio do desfile, a Câmara decide apoiar esta manisfestação e criar uma recompensa pecuniária para o melhor e mais bem caracterizado cavaleiro. Em 1989 é criado o regulamento que ajuda a disciplinar os intervenientes do Cortejo.

Este é composto por: Rei, Lanceiros, Corneteiros e Cavaleiros.

Chegados ao jardim municipal, a Cavalhada dá três voltas ao mesmo, supostamente deveria ser em redor da igreja do Espírito Santo [do Senhor dos Passos ou da Misericórdia] ali mesmo ao lado, as quais são uma homenagem, às Três Virtudes Teologais. Portanto, uma referência a Deus.

As Cavalhadas dão ainda uma volta à igreja da Matriz, seguindo para a ermida de Santo André, irmão de São Pedro, onde aqui dão três voltas, em sua homenagem, continuando o Cortejo pelas freguesias da cidade, terminando o mesmo junto do Solar da Mafoma.

Vale mesmo a pena ver estas festas.

domingo, 24 de junho de 2007

E ainda mais vacas...


Este fim de semana estive a almoçar com dois amigos que estão passar umas férias connosco, num sítio onde este magnifico espécime bovino é idolatrado. Uns belos bifes, muito bem servidos em que três doses servem perfeitamente para uma familia de cinco almoçar e ficarem satisfeitos. Descobrimos isso no momento em que as cinco doses chegaram à mesa.

Toda a envolvência do local é uma referência ao animal maioritário cá na ilha. Desde a sua criação, alimentação, cuidados, abate, etc.

Mas o que gostei especialmente das mesas no exterior onde se podem fazer piqueniques.

Como já tinha mencionado, "elas" são rainhas e senhoras cá na ilha!

terça-feira, 19 de junho de 2007

As roqueiras


Desde as festas do Senhor Stº Cristo que há todas as semanas festas religiosas em todas as terras da Ilha de S. Miguel.

São as chamadas festas do Espirito Santo em que se dá cumprimento a uma promessa (pelos mordomos). Decoram ruas com bandeirinhas, decoram a entrada das suas casas para mostrar quem é que está a organizar, colocam musica, doam pão e massa sovada (quando vieram oferecer cá a casa eu desconhecia a tradição, por isso tive de pedir explicações. O que revelou ser bastante engraçado para os mordomos. Só tive que beijar a pombinha (hum!?!?!) e aceitar as oferendas), atiram roqueiras para o ar!

De certeza que se não forem açoreanos estão a perguntar o que são roqueiras.

Roqueiras, meus amigos, são os foguetes ou petardos se fazem explodir durante as festas, durante os fogos de artificio, sem o espectáculo das cores. Ou seja, é só o barulho.
Aqui é o expoente máximo de lançamento de roqueiras. É a toda a hora! Já ouvi petardos a rebentarem à meia noite ou às 07h da matina. BOLAS!!!!
Esta gente é doida. É vê-los de cigarro na boca, coloca-lo na ponta do rastilho e libertá-los para o ar. Parecem criancinhas com um novo brinquedo, bastante perigoso por sinal. Enfim, ...

MAS É PRECISO LANÇAR A HORAS IMPRÓPRIAS?

quinta-feira, 14 de junho de 2007

A informação de trânsito


A informação de trânsito é uma mais valia para qualquer condutor que deseja evitar surpresas desagradáveis.

Como quase todas as estações de rádio do país, também aqui as rádios locais disponibilizam em determinadas alturas informações de trânsito para ajudar os (péssimos!) condutores.

Hoje ao sair de casa, tinha o rádio do carro sintonzado numa estação local, quando eles informam que vão emitir as informações de trânsito. Ok, deve ter havido um acidente algures devido ao mau tempo que se tem feito sentir ou haverá obras num troço de estrada a condicionar o transito, pensei eu! Começam as informações e oiço: "... para quem se desloca para Ponta Delgada, à saída da rotunda grande da Ribeira Grande há que ter cuidado com as 4 vacas que se encontram tresmalhadas! E agora vamos ouvir a música..."

OK!!!! Nada de acidentes? Obras? Um policia sinaleiro? Não. Foram 4 vacas que fugiram e que se encontravam a passear alegremente por esses caminhos primaveris de S. Miguel!

Sou obrigado a concordar que é uma notícia válida, mas estava à espera de algo mais.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

As belas flores


Esta é uma terra linda!

Chove que se farta, faz vento, o céu não tem um dia em que não esteja nublado e tem uma humidade terrivel. No entanto, essas condições são propícias para o aparecimento de flores lindas e belas.

Toda esta ilha está florida e das coisas mais agradáveis de se fazer (quando aparece um bocadinho de sol) é andar por essas estradas fora e admirar as flores estão colocadas à beira estrada.

Se o dia permitir, então o ideal é fazer uma caminhada para extasiar os sentidos com cheiros e cores magnificas que se encontra ao longo de todo o trajecto.

Experimentem


domingo, 10 de junho de 2007

A minha bebé!


Já está quase tudo preparado para a chegada da bebé mais linda do mundo. Roupinhas, carrinho, fraldinhas (ainda não consigo imaginar o cheiro, mas deve ser a rosas!), produtos para o banho, tanta coisa que é necessária para a chegada dela.

Já colocamos e montamos o bercinho e a banheira para ela tomar banhito. Até adquirimos um dispositivo para ajudar!

Temos brinquedos, caixinhas de música e mais algumas coisinhas para ela.

Esta semana que passou, acabamos de fazer a cómoda para o quarto da nossa lindinha que está quase a chegar (daqui a 4 semanas, se não for apressada como a mãe!). Tinhamos uma cómoda velha, arranjamo-la, pintaram-se as gavetas, colocou-se papel autocolante nas laterais e recortamos ursinhos. O resultado é o que estão ver!
Pode não ser muito, mas é feito com muito amor a pensar na lindinha que está para chegar

Falta acabar de pintar o seu quartinho mas o tempo daqui não tem ajudado.

Como já disse, esta ilha mexe comigo e vai mexer com a minha bebé!

quarta-feira, 6 de junho de 2007

O tempo


Bolas! Parece que voltamos ao Inverno.

O tempo por cá é uma inconstante.
É verdade que desde que cá cheguei, raras foram as vezes que usei manga comprida. Mas a mesma alta percentagem de humidade que mantem as temperaturas amenas durante quase todo o ano, provoca as quatro estações num mesmo dia. Ou seja, temos inverno, primavera, verão e outono no mesmo dia. Podemos acordar com um autêntico dia invernal e deitarmo-nos com um calor sufocante. Enfim...

Já aprendi a dizer que "o tempo está bom agora! Daqui a pouco, se verá..."

As previsões para esta semana: vento com rajadas até 110Km/H, chuva e trovoadas até domingo! E pensar que no meu algarve está um tempo super agradável.

Quando cá vierem, não necessitam de trazer roupas muito quentes, mas tragam sempre algo para vos proteger da chuva.

O ideal é andarem de mochila com um corta vento impermeável e uma blusa mais quente para o fim do dia lá dentro (como eu faço!). E sempre podem pôr lá mais tralhas (tal como eu!)

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Um belo fim de semana


Mais um fim de semana que se passou por cá.

Começou na sexta à noite com uma bela caracolada lá em casa com amigos que se estendeu pela noite dentro. Foi muito bom estar com amigos a petiscar, conversar e rir. Sobretudo a confraternizar.

No sabado, após acordar pelas 13h, foi o dia dedicado às limpezas. Bem, após os caracóis, cervejas, amendoins, ... alguém (eu!) tinha que fazer esse esforço.
Infelizmente a minha cara metade teve que trabalhar no fim de semana (ou felizmente para ela).
À noite, foram-nos levar as ofertas do Espiríto Santo a casa. Uma massa sovada e um pão. É giro, pois eu não conhecia esta tradição, então tive que pedir directrizes às pessoas do "Império" que faziam a oferta. Eles, divertidos, lá foram explicando o eu tinha que fazer.
É simples, temos que beijar a pombinha (essas mentes!) e aceitar as oferendas.

No domingo, fomos a uma "rulotte" comer um "pita chuarma" (depois coloco a fotografia!), fui pescar com um amigo (saldo: uma cavala com quase dois Kg, dois peixes menores) e pintei a cómoda que irá albergar as roupinhas da minha linda filhota que está quase a nascer.

Foi um belo fim de semana!

terça-feira, 29 de maio de 2007

Uma praia naturista?


Nas minhas andanças por esta ilha, descobri uma praia com as indicações em inglês de praia naturista.

Porreiro, digo eu! Um local para pessoas mais liberais puderem usufruir de um espaço sem invadir a privacidade de outros.

Mas ao chegar lá, bem... O espaço é agradável, mas para fazer naturismo é impossivel nesta ilha. A mentalidade açoreana ainda não está preparada para tal. Qualquer situação fora do normal, é um "Deus nos acuda". É ver as pessoas comentarem o biquini fio dental, comentarem que o soutien é curto, os slip's são transparentes, ...

Enfim...

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Obrigado, amigos!


Este fim de semana tive a agradavel surpresa de ver uma pessoa amiga.

É certo que estive apenas meia hora com ela, mas foram momentos muito, muito agradáveis aqueles que passei no porto de ponta delgada em amena cavaqueira a receber novidades do meu belo Algarve. É bom saber que já está calor, já cheira a verão e que os mosquitos já andam de volta das pessoas durante a noite. Foi deveras muito bom.
Bons mares te guardem neste período em que estas a navegar!


Desde terça-feira tenho cá comigo bons amigos de juventude que vieram conhecer esta ilha e passar uns tempos a rir recordando aventuras passadas e recentes, comuns ou não, até ao próximo sábado.
O melhor desta visita é rever caras amigas, familiares e queridas que trazem consigo um cheiro a terras do outro lado do Oceano que povoam as nossas mentes.


A vocês todos, OBRIGADO! Obrigado pela vossa presença e pelas vossas lembranças de cheiros e sabores que trouxeram convosco.

P.S. Esta semana vou comer caracois vindos directamente do Algarve, via aérea!

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Rock In Ribeira


Achei piada ao facto de em Lisboa existir o Rock In Rio e aqui termos o Rock In Ribeira. Está certo!
Reparem:
- em Lisboa temos perto de 1 milhão de pessoas, aqui temos 137mil;
- em Lisboa temos o Tejo, aqui temos ribeiras;
- em Lisboa temos a Bela Vista, aqui temos a Ribeira Seca;
- em Liboa temos bandas consagradas, aqui temos artistas locais consagrados.
Vendo bem as coisas têm razão para existir o Rock In Ribeira, pois as coisas aqui acontecem com uma dimensão diferente. Tá certo, mas o "In"?

Outra coisa gira sobre este festival é que é dedicado ao "heavy metal". O que é bom, porque durante o festival ocorre uma festa de marisco. Conseguem imaginar a cena: uma lagosta num prato rodeada por camarões tigre grelhados com molho de manteiga por cima. Tu olhas para o prato e começas a salivar. Pegas num camarão e fechas os olhos antecipando o momento de puro prazer gustativo. Abres a boca e no momento em que vais morder, começa uma banda a tocar e ouves a voz grave e incompreensível do vocalista a deitar impropérios em "calafão". DASSSSEEE!!!!, lá se foram os camarões e lagosta aterrar na cabeça do careca que está três mesas mais à frente.

terça-feira, 15 de maio de 2007

As festas do Senhor Santo Cristo


A segunda maior festa religiosa do país!

Desde 5ª feira que a cidade de Ponta Delgada anda louca. Atingiu o clímax no fim-de-semana durante as duas procissões (uma no sabado e outra no domingo), que percorrem ruas magnificamente decoradas com milhares e milhres de flores a formar quadros lindíssimos. Na noite de sexta para sabado, já andavam devotos e pagadores de promessas de joelhos pelas ruas calcetadas, cumprindo com as suas.

São milhares de crentes aqueles a quem a vida por algum motivo lhe foi menos favoravel e fizeram as suas promessas que cumprem nesta altura.

A história da festa está no link (http://www.terra-mar.org/santocristo/index.php)

É ver a população aumentar para o dobro nesta altura. São os emigrantes calafões que regressam. É fácil saber quem são: bigode, barrigas proeminentes, camisas ou t-shirt's berrantes e um dialecto muito proprio (mix de inglês/português com sotaque açoreano).

É ver milhares de pessoas a cirindar pela zona da igreja durante a noite em barraquinhas de comes e bebes, algodão doce, cachorros quentes (imensas, até aqui!! qual a obsessão desta gente com os cachorros?) e galinhas doces (uma especie de gomas que há aqui nesta altura). Ou seja, em actividades pouco religiosas... A lembrar as semanas académicas por todo o país.

Durante a festividade até encontrei uma banca que vendia roupa que publicitava assim : "kualker péssa" 5€.

Bem, até à próxima 5ªfeira é dia de festa. Vamos lá aproveitar para ir a mais umas barraquinhas de ...

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Caracóis


Qualquer algarvio que se preze, chegada a Primavera, dedica-se ao seu passatempo gastronómico favorito: comer caracóis. Sim, este bichinho rastejante, ranhoso que anda sempre com a casa às costas é um pitéu! Manjar dos deuses.

Caracóis numa esplanada, com pão e manteiga regados com imperais. Dois amigos e três dedos de conversa, programa ideal para magnificos momentos. As recordações que isto me traz...

Começou a primavera por cá e sentia que faltava qualquer coisa. Falava com colegas e familiares no Algarve e eles diziam que tinha estado aqui ou acolá a comer caracóis e eu aqui, nada!

Cheguei a pedir a um familiar para mos trazer...

Ontem à noite, maravilha das maravilhas, fui com a minha esposa e amigos comer caracóis. Descobrimos por cá um sitio que os faz! Fomos a correr que nem desalmados cortar esta sensação de vazio que se produzia aqui por dentro.

Ok, não têm o mesmo sabor (os açoreanos gostam da comida picante e colocam pimentão em tudo! mesmo tudo. Bem, no pão não!) mas matou as saudades.

Amigos, imperais (ou preta doce, verdadeiro tesouro açoreano) e CARACÓIS.

Um cheirinho a Algarve no meio do Atlântico.

P.S. Que saudades do primo dos caracóis.

quinta-feira, 10 de maio de 2007

O trânsito


Ok, disse para mim mesmo que não iria fazer este post!

Mas o que aconteceu hoje é demasiado para que não o faça.

Mas antes, "Domo Arigato, Sensei" por tudo o que me ensinaste para manter a calma e evoluir um pouco mais como ser tolerante.

Voltando ao assunto principal deste post: as pessoas são loucas a conduzir por cá! Pensava eu que era uma questão de hábito. Pessoas que se atravessam em frente aos carros sem olhar, condutores que não respeitam as regras da prioridade, toda a gente fala ao telemóvel e conduz, ultrapassagens perigossíssimas com carros de frente, desconhecimento total dos piscas, ... Eu tenho pânico de fazer rotundas nesta terra!

Mas pensava eu na minha pura e santa ignorância que tudo era devido à falta de civismo de certas pessoas, mas não: qual virgem enganada por um bom malandro, tambem fui enganado nas minhas conclusões.

O problema reside desde que se aprende a conduzir por cá. Hoje, numa rotunda tive que travar a fundo pois uma aprendiz a condutora, conduzindo uma viatura de uma escola de condução, orientada por um "profissional" estava em plena manobra de: contornar o passeio em marcha atrás!!!
ISTO NUMA ROTUNDA???? Qual é a regra de trânsito que se esqueceram de me ensinar quando tirei a carta?

BOLAS!!

terça-feira, 8 de maio de 2007

Os"States"


A proximidade com os Estados Unidos da América (ou os States como dizem por cá) trouxe certas pecularidades a estas ilhas. Certos costumes tipicamente gringos começaram a ficar enraizados e parece que estão para ficar!

Por exemplo:
- Num domingo à tarde, dia de calor e centenas de pessoas na praia a refrescarem-se. Está calor, o sol agracia-nos com o seu calor, dirigimo-nos a uma banquinha instalada na praia e vamos pedir "Um cachorro quente!" É verdade, há carrinhos a vender cachorros quentes na praia às 15h. (Esta é a terra onde vi mais carrinhos de cachorros quentes por metro quadrado!);
- Há uma casa de filhos da terra que emigraram para os "states" numa aldeia cá da ilha que tem a seguinte placa colocada na parede: "Built by the Fortunado family in 2002";
- o dialecto local está a alterar-se com expressões como: suera, candim, snicas, traques, ... (querem tentar adivinhar o que quer dizer?).

Enfim... Estamos apenas a 3h30m de distância!

P.S. A foto é de uma casa. Isso mesmo, é uma casa de alguém. Vivem lá pessoas! (faz lembrar a casa do "Chanquete" no Verão Azul, lembram-se?)

segunda-feira, 7 de maio de 2007

A caminho...


O que é certo é que esta ilha mexe comigo.

E de que maneira: a minha esposa é de cá e cá será o sitio onde vai nascer a Alice!

E quem é a Alice? É a mais linda das filhas e a mais bela das bebés (os outros pais que me perdoem!). A nossa filha que irá nascer em breve.

Amo-vos, a ti minha esposa e a ti minha filha!

Há fim de semanas assim...


Incrivel o fim de semana que passei!

Há momentos assim. Começou por um passeio para compras no sabado de manhã, almoço na marina e novo passeio a local muito giro. Telefonema de um amigo e passados uns instantes estavamos a dentro de água a surfar. Jantamos e fomos sair até um bar chillout magnifico que cá existe.

No domingo, almoço no jardim com a minha esposa (Amo-te!) e um amigo. Depois fomos para a praia apanhar ondas.

Eramos três dentro de água, as minhas lindas (mãe e a nossa bebé que ainda está em sua barriguita) na areia com uma amiga.

A dada altura olho para a praia e vejo um milhafre a planar sobre a praia a vocalizar as suas emoções, e pensei: "Acho que estou no paraíso!"

Saímos da praia e no final do dia ficou um maravilhoso pôr-de-sol como há muito tempo não via.

Há fim de semanas assim...

domingo, 6 de maio de 2007

Os Maios


Sendo eu um rapazinho do Algarve que gostava muito de ver esta tradição algarvia do dia primeiro do mês de maio fortemente enraizada no concelho de Olhão, podem imaginar a minha alegria quando descobri que aqui no arquipelago tambem existe esta mesma tradição (ou não tivessem sido os algarvios dos primeiros habitantes cá da ilha!).

Os Maios são bonecos que representam pessoas, em tamanho natural, vestidos e calçados com a nossa roupa, em atitudes humanas normais, sozinhos ou em grupo, representando cenas do quotidiano (passado ou actual).

Feitos na sua grande maioria na madrugada do primeiro dia de Maio, são retirados ao anoitecer. O que significa que ficam à vista de todos nós apenas um dia. No inicio deste dia são colocados nas portas, varandas, jardins, quintais, ruas, largos, etc...

A grande diferença que vi entre estes Maios e os da minha terra, é que estes não têm os habituais dizeres que acompanham os Maios (as suas falas!).

O certo é que nesse dia, parecia que tinha regressado a casa.

Alguém disse que "casa é onde o homem quiser". Neste momento eu quis os Açores, mas soube muito bem por momentos pensar que estava no meu belo Algarve.

terça-feira, 1 de maio de 2007

As rainhas dos Açores


Já aqui tinha referido que as vacas (e todo gado bovino) têm uma grande importância no quotidiano diário destas ilhas assim como na vida sócio económica de uma boa parte da população Açoreana.

Desta maneira não é de estranhar que uma boa parte do artesanato regional se centro em torno destes magnificos animais. Temos mantegueiras, suporte para guardanapos, pisa-papeis, ... todos em forma (ou a sugerir!) estes animais.

O que mais espantou até agora (para além do odor em determinadas alturas, ou não fossem elas grandes produtoras de metano) foi esta caixa do correio que encontrei numa das minhas deambulações à descoberta destas magnificas paisagens.

Só uma pergunta: o carteiro coloca as cartas por onde?

segunda-feira, 30 de abril de 2007

tunning II



Já me debrucei neste espaço sobre o tunning na ilha, mas anda por cá uma scooter que merecia um espaço de destaque aqui.

Graças a um colega, finalmente essa moto vai ter esse espaço por cá...

Temos de tudo: palmeiras, mulheres, picachu's, simbolos do glorioso, ... enfim.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

O 25 de Abril


Mais um dia feriado devido à coragem e desejo de liberdade de alguns dos nossos capitães de 1974. Já são 33 e agradeço-lhes o facto de ter liberdade expressão (para ter este blog por exemplo)

Hoje em dia este evento não representa para esta nova geração aquilo que representou para os nossos pais e avós. É simplesmente mais um dia de folga que se aproveita para passear, divirtir, domir mais um pouquinho, ... Na realidade é mais um dia em que não diz nada (tal como o 5 de outubro e o 1 de dezembro) a não ser um dia de uma efeméride histórica. É pena!

Ok, tal como quase todos nós, fui passear com a minha mulher e fomos à descoberta de recantos lindos e magnificos no Nordeste da Ilha de S.Miguel! É realmente muito bonito e merece mais que uma visita.

Mas lá encontrei algo que penso que nos dias do fascismo não iriamos ver (a foto!). Para além disso, neste miradouro é óptimo para lá levarem amigas e/ou amigos e como sempre vos disseram para respeitarem os sinais...
Divirtam-se a passear!

terça-feira, 24 de abril de 2007

Uma dor de dentes


Ontem passei duas horas à espera para fazer uma radiografia no hospital!

Que se passou, parti qualquer coisa? Bati com a cabeça em alguma rocha enquanto surfavava? Torci o pé em algum passeio pedestre?

A explicação é mais simples e estranha: parece que aqui na ilha, sempre que um dentista precisa de fazer uma radiografia à boca, manda-nos tira-la no hospital ou numa clinica privada que cá existe.

Aconteceu comigo, fui a um dentista por causa de uma dor (pequena, mas irritante!). Enquanto ele estava tratar diz-me que precisava de fazer uma radiografia para ver a extensão da cárie. OK disse eu habituado a tirar radiografias nos consultórios dos dentistas. Mas, qual o meu espanto quando me entrega uma folha de papel amarela para ir fazer a radiografia noutro local!

Parece que para arranjar dentes cá na ilha, pagamos sempre duas consultas. Inteligentes!

A sorte é que cá não se paga nada no hospital. Nem taxas, nem exames felizmente!

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Sócrates!


Apesar de estar um pouco mais afastado de Lisboa, não é por isso que não leio jornais (em versão electronica, pois aqui chegam sempre mais tarde e mais caros!) e não sigo o que se passa no país.

Daí colocar esta imagem, enviada pelo amigo xameco (obrigado), que reflecte bem dois importantes temas da actualidade portuguesa: a politica e a educação (ou falta delas)!

Sempre me disseram para me manter informado, pois essa é uma mais valia!

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Chuva


Chove que se farta!

Sempre ouvi falar do ditado "Abril, águas mil!". Até ter chegado ao arquipelago nunca tinha sentido na pele o que o dito quereria dizer.

BOLAS!!! Isto cai água desde 5ª. ou seja, à quase uma semana que chove torrencialmente e de forma ineterrupta.

Qualquer dia vou buscar o barco a casa e utilizo-o no meu dia-a-dia. E como vestuário, utilizarei o meu fato de surf... Já pensei em tirar um curso de "peixeses" não vá o diabo tecê-las.

Ontem, ao regressar a casa depois do trabalho, encontrei mais água na estrada do que em certos cursos de água no Algarve durante o ano inteiro.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Chá


Sabiam que a costa norte da ilha de S. Miguel é o único sítio da Europa onde existem plantações de chá para fins industriais; se acrescentarmos que, em todo o mundo, o único sítio onde se produz chá a norte de S. Miguel é a Geórgia (antiga URSS), isto já diz-nos a importância do chá na ilha.

O cultivo do chá, encontra nos Açores, mais concretamente em S.Miguel, condições favoráveis ao seu desenvolvimento.

Estas são um solo de textura arenosa, fértil, rico em ferro e onde os valores de acidez se encontram entre valores de 7 a 5 aproximadamente (entre neutro e acido). Aliado a estes factores, está o relevo da ilha que proporciona à cultura a necessária protecção que ela exige para um optimo desenvolvimento da planta do chá.

Apesar de ser a mesma planta que fornece todo o chá, partes diferentes da folha são usados para criar cada um. Posteriormente à separação das mesmas, vários processos e tratamentos determinam que tipo de chá será obtido. Dentre estes está tamanho da folha após a sua secagem.
Assim, na ilha produz-se três tipos de chá preto: - Orange Pekoe - Broken Leaf - Pekoe - e um único tipo de chá verde: - Hysson -

Dizem que esta bebida possui mais propriedades benéficas para a saúde do que a maior parte das pessoas conhece. Alguns dos estudos médicos realizados sobre a ingestão de chá referem que:
- nas senhoras mais idosas, ajuda a combater a Arteriosclerose Reumática, sendo 60% menor a hipótese de desenvolver a doença;
- a longo prazo, aumenta a densidade óssea de quem o bebe;
- o chá verde combate o desenvolvimento de células cancerígenas;
- ajuda na combate da contração de gripes;
- nas vitímas de ataques cardiacos, pode reduzir em 44% a hipotese de um 2 ataque, tomando apenas 2 chávenas diárias;
- pode ajudar na prevenção da doença de Parkinson.
- ajuda na prevenção de cáries dentárias e doenças de gengivas.

Aqui existem duas empresas que produzem chá: Porto Formoso e Gorreana. Merecem uma visita e na Porto Formoso até podemos fazer uma prova de chá.

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Lenda


Na minha pesquisa por aqui na net em busca de lendas sobre a Lagoa das Sete cidades encontrei pelo quatro diferentes.

São todas interessantes. Temos um romance entre um pastor e uma princesa, um rei impaciente e uma deusa.

OK! Mas aquela que mais gostei e acho que merece uma investigação, é sobre um arcebispo do Porto que para fugir aos muçulmanos, embarca com os crentes em 20 navios para as sete cidades, reminiscencias de Atlantida (apesar desta lenda não fazer referencia às cores da lagoa, será a mesma?).

"O primeiro documento ibérico referente às Sete Cidades é uma crónica em latim da cidade de Porto Cale (a moderna cidade do Porto), aparentemente escrita, cerca de 750 AD, por um clérigo cristão. Nessa época, o reino ibérico dos Visigodos já tinha colapsado sob a pressão da invasão muçulmana (iniciada em 771 AD) que avançara inexoravelmente até ao norte peninsular. O arcebispo de Porto-Cale, querendo esquivar-se à dominação muçulmana, deliberou partir para a grande terra das Sete Cidades (Sete Civitates) que os marítimos lhe asseguravam existia no meio do oceano ocidental. No ano de 734, o arcebispo, acompanhado por outros prelados, aos quais se juntaram cinco milhares de fiéis, embarcou-se numa frota de 20 veleiros.
Apesar da crónica narrar que a frota chegou sã e salva ao seu destino, e que muita gente se preparava para a seguir, na verdade o rasto do bom arcebispo, se alguma vez ele existiu, perdeu-se totalmente na noite dos tempos...", in wikipédia.

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Um dia muito chuvoso


Está um autêntico dia de inverno (coloco esta foto para atormentar a alma de quem esta a passar por este dia, na esperança de que mais logo esteja assim).

Desde do dia de ontem que chove ineterruptamente, o que deixa as pessoas com as caras fechadas e sem vontade de sair à rua.

Passamos por elas e nem lhes vemos os olhos. De rostos cabisbaixos a focar o passeio, apressam-se a percorrer o caminho que as há-de levar a um porto de abrigo. O escolhido ou não, não sei, mas aquele que por momentos as irá abrigar da chuva e das intempéries desde dia invernoso.

Sempre me disseram que as condições meteorologicas dos Açores, são uma lotaria! Agora comprovo-o "in loco".

Talvez por isso deixo-vos aqui um dos últimos "êxitos" musicais "made in Açores".

quinta-feira, 12 de abril de 2007

A Lagoa das Setes Cidades


Esta lagoa tem uma característica muito pouco comum. A coloração das suas águas! A lagoa é divida por canal pouco profundo separando de um lado um lago de águas de tom verde e um do outro, um lago de cor azul. Este facto deu origem a algumas lendas que depois irei aqui colocar.

Na Lagoa das Setes Cidades está-se perante uma zona de montanha de relevo bastante acentuado, com falésias interiores, profundas ravinas e sulcos em cujos leitos correm águas torrenciais. Inclui uma área urbana, a freguesia das Sete Cidades, terrenos agrícolas e maciços florestais. O Pico das Éguas, com 847 metros de altitude, é a maior elevação desta zona.

A caldeira das Sete Cidades, formada por colapsos sucessivos, tem um diâmetro de 400 metros. É uma das maiores caldeiras de abatimento dos Açores. Os bordos apresentam quase sempre vertentes muito inclinadas, sendo possível encontrar nelas vestígios da vegetação primitiva dos Açores.

É uma área importante em endemismos, destacando-se:
- na flora o Cedro-do-mato (Juniperus brevifolia), a Angélica (Angélica lignescens), o Azevinho (Ilex perado ssp. azorica), o Queiró (Daboecia azorica), a Urze (Erica azorica), a Uva-da-serra (Vaccinium cylindraceum), o Folhado (Viburnum tinus ssp. subcordatum), as Margaridas (Beilis azorica).
- as aves endémicas como o Pombo-torcaz-dos-Açores (Columba palumbus azorica), o Melro-preto (Turdus merula azorensis) e a Estrelinha (Regulus regulus azoricus).
É uma importante zona de passagem para aves migratórias, muitas das quais em perigo.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

E continua a mexer...



Meus amigos, isto aqui não para. Parece o Coelhinho da Durecell no anuncio alemã de satisfação de donas de casa (para quem não conhece, terá que fazer uma pesquisa na net...)

Mas isto tem uma razão de ser: O arquipélago dispõem-se em arco alongado, sobre a cordilheira submarina dorsal atlântica. E mais importante, os Açores encontram-se situados no ponto de intersecção das placas tectónicas euro-asiatica (Terceira, Graciosa, S.Jorge, Faial e Pico), africana (S. Miguel e S.ta Maria) e americana (Flores e Corvo). Isto faz com que a actividade sismologica seja intensa devido aos constantes movimentos destas placas.

Ora, desde pequenino que oiço: duas é bom, três são demais! Isto faz com que ontem ocorresse cinco(5)! sismos na região.

E mais uma vez, nem um senti... (muito honestamente, espero que continue assim!)

"Um novo sismo foi registado nos Açores, o quinto sentido hoje em várias localidades do Grupo Oriental do arquipélago, sem ter provocado danos, anunciou o Serviço Regional de Protecção Civil. O sismo foi registado às 20:38 locais (21:38 de Lisboa), com epicentro localizado a cerca de 45 quilómetros dos ilhéus das Formigas, onde se verifica, desde quinta-feira, actividade sísmica, adiantou a mesma fonte. O presidente da Protecção Civil açoriana, António Cunha, adiantou à agência Lusa que não há registo de qualquer dano. Segundo o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, que cita dados do Sistema de Vigilância Sismológica dos Açores (SIVISA), o sismo foi sentido com intensidade máxima V na escala de Mercalli Modificada (XII pontos) em várias zonas das ilhas de São Miguel e de Santa Maria e de II na ilha Terceira. De acordo com o SIVISA, a actividade sísmica na zona dos ilhéus das Formigas mantém uma tendência decrescente, «pontualmente interrompida por curtos períodos de maior libertação de energia»."

domingo, 8 de abril de 2007

A quadra pascal



Esta terra é muito religiosa!

Durante toda esta semana organizaram-se manisfestações de celebração da Páscoa.

Nela celebram os cristãos a sua própria redenção pelo mistério da Ressurreição de Cristo. Por ela se realiza a grande Páscoa ou Pas­sagem da morte para a vida ou do estado de perdição para o estado de salvação. É a vitória final de Deus, em Cristo, sobre o pecado, o mal e a própria morte.

Houve várias liturgias e procissões, as pessoas acorreram às celebrações e as ruas engalanaram-se.

Na imagem vê-se a procissão do dia da Pascoa que percorreu algumas ruas da cidade da Ribeira Grande.

É uma outra vertente desta ilha, onde as pessoas recorrem às suas crenças para serem um porto de abrigo, numa terra onde tudo é hostil (a terra mexe e vomita, o mar suscita temores de cada vez que cresce).

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Eu e os sismos...



Acho que estou insensivel.

No dia de ontem pelas 03h56 da madrugada (quem é que se lembra de uma hora assim?) ocorreu um sismo classificado com V na escala de Mercalli Modificada (para quem não sabe, mede a destruição provocada e não a intensidade) e eu muito bem deitadinho a sonhar, nem um pequenino tremer senti.

Ok, até aqui tudo bem pois quando durmo, durmo como uma pedra (que às vezes ressona) como a minha esposa se queixa de vez em quando (ela diz, mas eu nunca ouvi!). Mas parece que hoje ocorreram mais dois sismos durante o dia e eu mais uma vez nada senti.

Começo a ficar preocupado com esta minha insensibilidade, mas por outro lado o epicentro deu-se perto do Ilhéu das Formigas. Quer dizer, formigas? Com um nome desse estão à espera que o sismo seja o quê?


(Espero não me vir arrepender destas palavras)

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Ilha Sabrina



A Ferraria é uma zona muito especial na ilha. Ao largo, aproximadamente a uma milha, existe uma ilha submersa que resultou da erupção de um vulcão em 1811.

A 4 de Julho de 1811 o vulcão parou súbitamente . O tempo também se encontrava favorável a mais uma expedição por parte de um comandante inglês que se encontrava na ilha. Desse modo o comandante de nome Tillard convidou os cônsules seus amigos para rodear a ilha recém formada, desenhá-la e …conquistá-la!!

Assim se fez; arriaram um bote, remaram em águas ainda quentes, encallharam o bote numa praia de areias negras e fumegantes, abalançaram-se terra dentro e ali fincaram,o mais alto possível, a bandeira inglesa, símbolo do Império e marco miliário de mais uma conquista, baptizando-a de Ilha Sabrina em honra à fragata por ele comandada.
Em setembro de 1811, a ilha viria a submergir em virtude da erosão provocada pelo mar e encontra-se actualmente a uma profundidade de 75m. Parece que os "nossos aliados" engoliram em seco (perdoem-me o cliché). Ou melhor, em molhado!

É ainda um local muito bonito, porque foi um oásis em momentos tumultuosos da vida.


Do ponto de vista da geologia e da flora endémica característica deste lugar, neste espaço salientam-se:
- Uma Pseudo-cratera, assim designada por não possuir uma conduta de alimentação profunda,que se formou na sequência de pequenas explosões de vapor, resultante do contacto da escoada lávica com a água do mar;
- Os xenólitos, características dos depósitos vulcânicos que constituem a fajã lávica da ferraria, são constituídos neste caso, por rochas granulares, formadas em profundidade e trazidas à superfície em episódios vulcânicos subsequentes;
- O pau-branco (Piconia azorica) e a urze (Erica azorica), especies endémicas e ainda a espécie nativa faia-da-terra (Myrica faya).

O mais espectacular é que quando a maré está baixa, encontramos poças de àgua quente, devido aos fenómenos vulcânicos aqui existentes. Ou seja, quando cá vierem, tragam os calções independentemente da estação do ano.